terça-feira, 30 de outubro de 2007

Coletivo Desenvolvimento Sustentável


"LUTAR pela sustentabilidade do Planeta, desencadeando junto à base do SEMAPI e do Movimento Social, processos que oportunizem uma reflexão crítica sobre o modelo de desenvolvimento hegemônico, construindo uma ponte para a adoção de práticas cotidianas capazes de inverter a lógica estabelecida e de constituir as bases para um modelo de desenvolvimento sustentável".

Esta é a missão do Coletivo Desenvolvimento Sustentável do SEMAPI - Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS.

O SEMAPI luta pela defesa das liberdades individuais e coletivas, pelo respeito à justiça social e pelos direitos fundamentais do homem. Representa trabalhadores das Fundações Públicas do Rio Grande do Sul, EMATER, EPTC, COHAB e centenas de empresas privadas ligadas ao segmento serviços.

As organizações que integram a base do SEMAPI têm protagonismo na formulação e execução de políticas públicas estreitamente vinculadas com o desenvolvimento sustentável e, ao mesmo tempo, os seus trabalhadores e a sociedade enfrentam as conseqüências de políticas neoliberais que têm no desmonte do Estado o seu eixo e, como resultantes, a precarização das políticas públicas, do controle social e das relações de trabalho.

Esta contradição impôs uma ação vigorosa do Sindicato na mobilização de sua base sindical para que a mesma incorpore o desenvolvimento sustentável às suas bandeiras de luta, bem como a defesa de um Estado compromissado com um serviço público de qualidade e com a sustentabilidade do desenvolvimento.

Considerando que o SEMAPI executa a sua política através de Coletivos, para dar conseqüência a este compromisso, a gestão 2007-2010 criou o COLETIVO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Este, instituído no dia 05 de outubro de 2007, pauta a sua ação pela provocação de uma reflexão crítica sobre o modelo de desenvolvimento hegemônico e para a adoção, pelo sindicato e pela base, de práticas cotidianas orientadas pela lógica da sustentabilidade, o que inclui o Consumo Consciente.

O sindicato, na realização dos seus objetivos, preserva o compromisso com a sua missão clássica e luta também contra o desemprego, buscando a readmissão dos demitidos ou estimulando a sua organização. Neste caso privilegiamos a organização coletiva e autogestionária.

O SEMAPI - Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS - localiza-se na Rua General Lima e Silva, 280 – Cidade Baixa, em Porto Alegre/RS – Telefone 51-3287-7500 – http://www.semapirs.com.br/
Para acessar o Blog busque o endereço: sustentabilidadesemapi.blogspot.com

3 comentários:

Coletivo Desenvolvimento Sustentável SEMAPI disse...

Bom ver nosso Sindicato dando este passo qualificado e qualificador na disputa doutro mundo possível.

Lauro Bernardi

Anônimo disse...

Pena que a divulgação na FASE seja precária.

Dê Aguzzi disse...

Adorei a iniciativa de criação de blog com matérias magnificamente bem claras. Parabéns.
Tomo a liberdade de sugerir uma matéria que li hoje sobre um evento que acontecerá em Lima, no Peru, somente para conhecer para conhecer o modelo brasileiro que resultou na criação do Plano Nacional de Recursos Hídricos (PNRH), um modelo de sustentabilidade.

"Sustentabilidade
Segunda, 3 de março de 2008, 10h13
Brasil exporta modelo de gestão da água

Antonio Gaspar
Mais de 20 países ibero-americanos estão representados em Lima, no Peru, para conhecer o modelo brasileiro que resultou na criação do Plano Nacional de Recursos Hídricos (PNRH), durante evento organizado pelo Instituto Nacional de Recursos Naturais do Peru em cooperação com a Secretaria Geral da Comunidade Andina e Ministério do Meio Ambiente da Espanha. Durante o evento, serão discutidos avanços e desafios na elaboração de planos de recursos hídricos, a troca de experiências e exemplos de gestão de águas transfronteiriças.
O objetivo da reunião é criar condições para que esses países possam avançar na gestão integrada de recursos hídricos e atingir as Metas de Desenvolvimento do Milênio, que estabelecem, por exemplo, a necessidade de usar a água de maneira sustentável.

O Brasil saiu primeiro na elaboração do PNRH. Durante dois anos e meio, os governos federal, locais e membros da sociedade civil participaram de discussões para a sua criação. Hoje, é o mecanismo que norteia a política de utilização das águas até 2020. O diretor da Agência Nacional de Águas Oscar Cordeiro Netto vai explicar aos representantes dos países vizinhos a experiência brasileira e a administração de águas transfronteiriças, apresentando o acordo entre o País e o Uruguai, para aproveitamento do rio Quarai."